Quinta, 30 de Julho de 2020 12:02

Russia promete vacina

País quer repetir o vanguardismo do 'Sputinik', o primeiro satélite lançado no mundo, pelos soviéticos, em 1957

Divulgação

A mesma expectativa que a então União Soviética pretendeu causar à humanidade há mais de 60 anos, rivalizando com os Estados Unidos ao lançar o primeiro satélite do planeta Terra tendo a bordo a cadelinha Laika, os russos querem causar sensação mais uma vez.

Agora, quando o planeta clama por um antídoto à pandemia de coronavírus.

Segundo reportagem da TV CNN, a Rússia pretende aprovar uma vacina contra o coronavírus nas próximas duas semanas. As autoridades daquele país informaram que estão trabalhando para uma data por volta de 10 de agosto. A vacina é desenvolvida pelo Instituto Gamaleya (GAMALÉIA), com sede na capital Moscou.

A CNN diz que a Rússia não divulgou dados científicos sobre os testes e que ainda há a preocupação de que o teste em humanos ainda esteja incompleto.

Segundo a CNN, o diretor do fundo soberano da Rússia, Kirill Dmitriev (KÍRIL DIMITRIÉV), afirmou que “é um momento do Sputnik”, referência ao lançamento do primeiro satélite do mundo pela União Soviética em 1957.

Em sua declaração, Dmitriev disse que os Estados Unidos ficaram surpresos quando ouviram o bipe do Sputnik e que o mesmo vai acontecer com a vacina. “A Rússia chegará lá primeiro”, disse Dmitriev, que comanda o fundo que financia a pesquisa russa.

Se cumprida a pretensão, a vacina será aprovada para uso público, primeiro para profissionais de saúde.

Há 199 vacinas em desenvolvimento no mundo, das quais 19 estão em testes clínicos.

 

Desenvolvido por: PontoCOM Desenvolvimento